Observatório Político Brasileiro

Artigos assinados; clipping e crítica de notícias políticas de interesse público

Máfia Verde 1 e 2 José Goldemberg e o governo mundial

Trecho do capítulo 5 do livro "Mafia Verde: o ambientalismo a serviço do Governo Mundial"

Mais sofisticado que Lutzenberger, o físico nuclear José Goldemberg  Gaúcho de Santo Ângelo, de 82 anos,ganhou notoriedade nacional a partir de meados da década de 70, na esteira da oposição de parte da comunidade científica brasileira ao programa nuclear brasileiro, em especial o Acordo Nuclear com a Alemanha. A militância antinuclear e em favor das fontes energéticas alternativas o levaram a aproximar-se dos círculos da ?Nova Ordem Mundial? que promovem o ambientalismo e as restrições tecnológicas. A sua entusiasmada adesão ao catastrofismo ambientalista - condição básica para o ingresso naqueles meios - pode ser constatada com o parágrafo introdutório de seu livro S.O.S. Planeta Terra - o efeito estufa: ?O planeta Terra está ameaçado. O Eden original no qual viveram nossos antepassados distantes - em equilíbrio com a natureza - já não existe mais a não ser em regiões isoladas e protegidas.?

No livro, repleto de informações e dados incorretos sobre os fenômenos atmosféricos, Goldemberg abraça a tese de que os recursos necessários para ?combater as conseqüências do efeitos estufa, ou preveni-las?, sejam gerados pela aplicação de impostos sobre a produção dos derivados do carbono.

Em 1989, ao concluir o seu mandato na reitoria da Universidade de São Paulo (USP), Goldemberg iniciou em grande estilo a sua escalada na hierarquia dos serviçais do Establishment oligárquico. Por intermédio de Yevgeny Velikhov e outros contatos soviéticos, foi convidado a integrar a junta diretora do Fundo Internacional para a Sobrevivência e o Desenvolvimento da Humanidade, entidade sediada em Moscou, cuja finalidade era a de criar um foro de debates Leste-Oeste para a agenda malthusiana-ambientalista. No mesmo ano, ele havia participado do Foro Global de Líderes Espirituais e Parlamentares para a Sobrevivência Humana, também realizado em Moscou, com patrocínio do Fundo.

Exibições: 363

Tags: 1, 2, Amazônia, Baha´i, Goldemberg, Máfia, ONG, Verde, e

Comentar

Você precisa ser um membro de Observatório Político Brasileiro para adicionar comentários!

Entrar em Observatório Político Brasileiro

Comentário de Marilda Oliveira em 4 abril 2012 às 16:59

Prezado Ivo. Como um país com uma gama de problemas estruturais como o Brasil pode se dar ao luxo de praticar uma gestão pública totalmente incompetente e ineficiente em todos os planos: Federal, estadual e municipal? Onde a cada ministro que  entra ou sai parece que vai começar tudo de novo, onde não existe políticas públicas de longo prazo, com metas e objetivos claramente definidos. Onde falta articulação política e administrativa entre os Entes Públicos. Onde não há continuidade de ação governamental, apesar do continuismo dos mesmos partidos e grupos políticos que não deixam o poder, cujos caciques estão ai desde a chamada ditadura só comendo e mamando nas tetas do Tesouro e do Governo?

De pouco adianta nossos presidentes andarem mundo afora como caixeiros viajantes enquanto parlamentares aqui dentro se transformam apenas em despachantes de luxo e o toma lá dá cá ou o “é dando que se recebe” continua como a marca registrada de nossa vida política. As  commodities continuam sendo negociadas a preços baixos no balcão comissionado do congresso, os minérios continuam sendo contrabandeados, privatizam nossa água e nosso solo,tiram da cidadania o direito ao ensino qualificado, mão de obra bem remunerada no Brasil só para estrangeiros.

Falar em desindustrialização, em competitividade internacional, em crescimento sustentável  soa como a mais pura balela. Oxalá nossos netos ou bisnetos tenham melhor sorte do que a atual geração quanto aos seus governantes futuros!

Ivo, em vista a tudo isto questionamos... o povo está inerte, mas pense bem, quanta luta do povo contra as privatizações – privataria – e a corrupção existente no governo FHC. Os casos foram numerosos – tanto é que substituiu-se o Promotor Geral da República pela figura do “Engavetador Geral da República”. Ficou inerte quando o governo Lula liberou o plantio de sementes transgênicas, criou facilidade para o comércio de agrotóxicos e deu continuidade a uma política econômica que assegurou lucro milionário ao sistema financeiro; O povo ficou inerte contra a corrupção do atual governo federal PT ignorando a corrupção que viceja nos ninhos do tucanato.

O povo não  é bobo. Não irá às ruas para atender ao chamado de alguns setores das elites porque sabe que a corrupção está entranhada na burguesia brasileira. A indignação está, praticamente restrita à esfera individual, pessoal, de cada brasileiro. Esse cenário mudará. E o povo voltará a fazer política nas ruas e, inclusive, para combater todas as práticas de corrupção, seja de que governo for. Quando isso ocorrer, alguns que querem ver o povo nas ruas agora assustados com a prisão dos corruptos, usarão seus azedos blogs para exigir que o povo seja tirado das ruas.

As multidões vão às ruas pela marcha da maconha, MST,Parada Gay... e por que não contra a corrupção? Porque é preciso ter credibilidade junto ao povo para se fazer um chamamento popular. Ter o monopólio da mídia não é o suficiente  para determinar a vontade e ação do povo.

Veja, 31 de março data da ditadura no Brasil recebi vários e-mail com vídeos cada um mencionando fatos favorecendo cada lado (com inclusões e exclusões), MENOS, o Filme completo, oferecendo a sociedade a verdadeira história, que FHC mandou arquivar por 50 anos como secreto, e Lula da Silva endossou, privando ao povo brasileiro o direito de  saber e pesquisar a verdadeira história.

Por tudo isto Ivo, mediante nosso bom senso, é importante apresentar ao  cidadão a verdade real, sobre o que realmente acontece. Eu tenho certeza... o povo não se manifesta, mas lê as mensagens, toma conhecimento,e está alerta. Estamos cumprindo nosso dever cívico.

Abraços Fraternos,

Marilda Oliveira

Comentário de Ivo S. G. Reis em 4 abril 2012 às 10:59

Marilda, Marilda, Marilda, minha amiga, em que estamos metidos? Seriam necessários alguns milhares de Marildas e Ivos e outros que pensam iguais a nós, espalhados por todos os cantos do mundo, denunciando, alertando e convidando o povo a abrir os olhos e mobilizar-se contra as farsas e teatros que nos obrigam a assistir e, o que é pior, a tomar parte.

Pessoas de destaque no cenário político mundial, na mídia, na ciência e tecnologia, na religião, nos meios culturais, em todas as atividades, pessoas de reputação "aparentemente ilibadas", estão a nos enganar, a serviço dos donos do mundo. Todos nos enganam: governos, bancos, comércio, mídia (TV, principalmente), levando-nos a uma servidão cega total. Vão nos jogar num precipício e preservar suas vidas. E os poupados vão continuar a ser escravos dos comandantes. Esta é a triste realidade.

Estou deprimido, Marilda, triste e cansado de gritar. Agora mesmo (depois de passado episódio idêntico no Natal), vejo as pessoas numa corrida frenética para a compra dos "ovos de páscoa", instigadas pela mídia, a serviço do consumismo. Digo para meus amigos e familiares: "Não compro ovos de páscoa, nem bacalhau, nem qualquer espécie de peixe na Páscoa". Depois da Páscoa, se quiserem, eu compro tudo, de monte.

As pessoas não entendem, eu tento explicar que é um ato de protesto, coisa de foro íntimo. Daí eles me dizem: "Você combate a compra de presentes no Natal, combate a compra de ovos de páscoa, na Páscoa... não é normal, deve estar ficando desequilibrado". Sou obrigado a ouvir isto, constantemente. Como é difícil fazer as pessoas entenderem que estão sendo manipuladas!...

Mas vamos continuar, Marilda, vamos continuar, até onde der. Quem sabe um dia...

Noticiário Recente

*** Em atualização ***

Links Indicados:



Visitantes, a partir de 06/05/2009:

Efeitos Especiais


Assinar o feed


diHITT - Notícias


© 2017   Criado por Ivo S. G. Reis.   Ativado por

Relatar um incidente  |  Termos de serviço