Observatório Político Brasileiro

Artigos assinados; clipping e crítica de notícias políticas de interesse público

Marina soçobrou. A palavra de ordem é "mudanças". Mas com Aécio, com Aécio?!!! Por que mudar para pior?

Não, ela não era a melhor das opções, era a menos ruim, porque dentre os três candidatos com possibilidade de se eleger para a Presidência da República, não existia melhor opção. Marina era a que representava esperança de mudanças e de quebrar a polarização PSDB x PT (com PMDB de carona, no meio) e que vem se arrastando desde o primeiro governo FHC, iniciado há exatos 19 anos. Os dois candidatos adversários assustaram-se com ela, ao perceberem que ela era uma séria ameaça às pretensões de ambos, podendo derrotar cada um deles e mudar o rumo político do país, livrando-o da dominação (PT +PMDB) X PSDB.

Então, o que ocorreu no primeiro turno? Marina, candidata pelo PSB, um partido ainda de pouca representatividade e sem grandes estruturas, viu-se massacrada ao longo de toda a campanha, tanto por Aécio, como por Dilma. Ela era a candidata a ser batida, desde que começou a aparecer em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto.

Dilma sabia que o pior que lhe poderia acontecer era ir para o segundo turno, com Marina. Então, sem se preocupar muito com Aécio, procurava desgastar Marina, espalhando boatos de que ela não daria continuidade aos programas sociais do PT e fazendo-a passar por insegura. Já Aécio, este sim, dava um tiro em Dilma e três em Marina e ainda se aproveitava dos ataques já feitos por Dilma porque se não derrotasse Marina, adeus seus sonhos. A candidata do PSB, tendo de se defender de ataques duplos e com um tempo de publicidade muito menor que os dos seus adversários, não resistiu, não por falta de fibra ou competência, mas por culpa do perverso sistema eleitoral brasileiro.

Pois bem, o estrago está feito e agora a palavra de ordem continua sendo MUDANÇA, que o comitê de campanha do candidato Aécio está sabendo explorar muito bem porque, de fato, este é o desejo da população (quem não sabe?). O problema é que mudar só por mudar não resolve nada. Só se deve mudar quando se tem a certeza ou pelo menos a maior probabilidade de que a mudança será para melhor. Do contrário, se a mudança for para pior ou revelar grande possibilidade de que isso venha a acontecer, é melhor não mudar, para não ficar pior do que está. E com Aécio, com Aécio... será muito, muito pior do que com Dilma. Se a simples mudança resolvesse todos os problemas, cada vez que um time de futebol trocasse de técnico, o time teria de sair ganhando, senão todas, a maioria das partidas. No entanto, em muitos casos, o novo técnico continua perdendo, às vezes mais do que o anterior.

Aécio também é corrupto e entreguista (vide escândalo do contrabando do nióbio de Araxá-MG, durante os seus 8 anos de governo). Se tiver de lotear o Brasil para estrangeiros o fará sem o menor escrúpulo, como já demonstrou. O país só não ficou sabendo porque tudo foi abafado, com a imprensa sendo perseguida ou comprada. E o PT não denunciou porque não podia denunciar sem se sujar. Daí, o acordo de cavalheiros: "Eu não toco no assunto e nem deixo a imprensa investigar e você faz o mesmo, senão os dois vamos para a fogueira juntos e amarrados". E assim foi feito. O PT foi obrigado a aceitar a chantagem por também ter culpa no cartório, muito menos do que Aécio, mas tinha.

Quanto à Marina, coitada, ficou numa saia justa, tendo de manifestar a quem dará seu apoio. E só lhe restam duas alternativas: apoiar um de seus inimigos ou permanecer neutra. Num ou noutro caso, será criticada. Sua coligação a está forçando a dar seu apoio a Aécio, que a combateu ferozmente. Será que a política precisa mesmo de tanta hipocrisia assim? Será que o político é obrigado a fazer alianças espúrias, contrárias às suas convicções, só para permanecer no jogo ou não trair seus correligionários e os acordos de bastidores que fizeram? Vamos ver como Marina resolverá o problema, já que ela ainda não se pronunciou oficialmente.

Quanto ao voto no segundo turno... Bem, estou falando por mim: não queria e nem gosto da Dilma, mas vou votar nela porque nao quero ver nosso país nas mãos dos estrangeiros. Aécio nada tem a ver com o seu avô Tancredo Neves, a não ser a descendência e o sobrenome. Sua voracidade e a de seus companheiros de PSDB é muito maior do que a dos petistas e, o que é pior, estão com fome, num jejum de 12 anos. Se o governo passar para as mãos do PSDB, é certo um novo festival de privatizações (e em condições sempre desfavoráveis para o país, é claro).

Vejam o vídeo abaixo e entendam, ainda que superficialmente, o escândalo do nióbio, em que Aécio foi um dos principais protagonistas, mas que foi abafado pelo governo e pela mídia, porque Aécio calou a imprensa em Minas Gerais e o PT no país, porque também tinha culpa no cartório. Esse foi o escândalo que não explodiu. E se explodisse, seria maior do que o do mensalão e o da Petrobras, porque só o lucro com a correta exploração do nióbio, mineral estratégico e de alto valor comercial, do qual o Brasil é o maior produtor mundial (98% das reservas) seria suficiente para pagar, com sobras, toda a dívida externa brasileira e alçar o país a condições iguais aos dos chamados "países do primeiro mundo". Por que não fizeram isso?

Nióbio brasileiro, o escândalo que não explodiu para proteger Aécio Neves e, em menor grau, o PT, por conivência e omissão

Posso estar errado, porque as opiniões estão muito divididas. Mas Aécio? Aécio?! Não voto nem com um revólver na cabeça. Que fique então a incompetente Dilma e que o susto que levou nas eleições e o que captou da indignação popular lhe dê coragem para, finalmente, trazer para o seu lado bons assessores (não precisam ser "companheiros militantes") para ajudá-la a fazer as tais MUDANÇAS que o país precisa. Por que deixá-las para Aécio fazer? E se isso for só discurso de campanha para obter o poder? Não, acho que não devemos correr o risco, já conhecendo a vida pregressa da figura (maquiada e escondida para os que não conhecem). Se assumir, esperem ele tirar a máscara de bom moço e salvador do país e verão o que é bom pra tosse.

No ar, deixo a pergunta: verifiquem se em algum momento das campanhas e dos debates na TV, vai surgir a palavra nióbio... Garanto que nem tocam no assunto. Nenhum dos dois quer esse escândalo em seus currículos. Marcos Valério tocou nele, de passagem, mas estranhamente, todos fingiram não perceber e nem se dignaram em investigar, como se fosse coisa de somenos importância. E assim, o povão de nada soube, como continua não sabendo. Quem vai trazer esse assunto à tona? 

Exibições: 38

Tags: Aécio Neves, Dilma, Marina Silva, eleições 2014, segundo turno

Comentar

Você precisa ser um membro de Observatório Político Brasileiro para adicionar comentários!

Entrar em Observatório Político Brasileiro

Noticiário Recente

*** Em atualização ***

Links Indicados:



Visitantes, a partir de 06/05/2009:

Efeitos Especiais


Assinar o feed


diHITT - Notícias


© 2017   Criado por Ivo S. G. Reis.   Ativado por

Relatar um incidente  |  Termos de serviço