Observatório Político Brasileiro

Artigos assinados; clipping e crítica de notícias políticas de interesse público

O período em que o ensino no Brasil passou a segundo plano...

Enquanto o povo brasileiro não tiver formação e conhecimento suficiente para da maneira correta intervir e mudar o quadro político brasileiro, esta “fiscalização” que o povo pode vir a fazer é praticamente impossível, e se for, está anos luz à frente da realidade nacional. Com um setor de educação deficiente, a base educacional brasileira vem formando indivíduos que só sabem abaixar a cabeça e contribuir, na maior parte das vezes inconscientemente, com a corrupção crescente, sendo coniventes e esperando que alguma solução divina caia do céu. leiam quando esta punição aos brasileiros iniciou.


Os Oligarcas, E.U., USAID, e o Ensino no Brasil Privatizado

Em 16 de março de 1964 os EUA enviou ao Brasil comissão formada de uma equipe especializada de
consultores não pertencentes aos quadros do USAID, para cotejar a realidade do ensino superior existente
no Brasil com a assistência que já desenvolvia; e ambos com a mesma estratégia “ segundo os padrões
organizacionais das universidades norte-americanas” esta equipe de quatro norte –americanos desembarcaram
no Brasil: objetivo: Higher Education Tean era descobrir meios para adequar a assistência ao ensino superior
a “estratégia” geral diziam que a ISAID levava o aluno para o âmbito social e a “estratégia” era o
plano agrícola ou industrial.
"tornar o povo brasileiro mão-de-obra barata não pensante"
A ameaça que a “barbarização” podia apresentar para o “reino do espírito” roubando
ao homem “a dignidade” de “condição humana". (Barros 1971 p.276

Ano de 1972, na cidade de Presidente Prudente, interior de São Paulo. A Ditadura Militar deitava e rolava. É o ano do “Sesquicentenário da Independência e a “Redentora”, com toda a certeza, em pleno “Milagre “Brasileiro”, aproveitou ao máximo para se afirmar ideologicamente na cabeça dos brasileiros. Os críticos e opositores iam sendo calados pela tortura, pela morte e pela censura. Dava a impressão que aqui era o melhor dos mundos.
Na realidade, reinava a “paz dos cemitérios”. O Presidente era o General Emílio Garrastazu Médici, aquele que gostava de futebol e que “levantou a taça” Jules Rimet com o capitão Carlos Alberto.
“O austríaco Ivan Illich, que passou a trabalhar no México a partir de 1962, propôs a desescolarização da sociedade.
Só uma renovação total das instituições educativas, segundo Illich, propiciaria a esperada mudança social” ( Portal Estante de Filosofia)


Escola Summerhill – Inglaterra. Parece incrível, mas ainda existe.
Para A.S. Neil "uma criança deve viver a sua própria vida - não uma vida que seus pais acreditem que ela deva viver, não uma vida decidida por um educador que supõe saber o que é melhor para a criança."

O Esquema Vestibulares era um colégio da elite prudentina, sem dúvida alguma. Num período curto de tempo converteu-se numa escola com grandes índices de aprovação em faculdades e universidades de ponta.
O hoje médico oftalmologista Ronaldo Gazolla Alves, o médico urologista Péricles Takeshi Otani (Medicina-Pinheiros),o médico neurologista Marcos Otani,os pediatras Aparecido Nórcia, Celso Tiezzi e Mauro Gakiya, o médico endocrinologista José Roberto Cunha Marcondes Filho,o físico Jair Carlos Romano (UNB), os engenheiros Fernando e Marcos Húngaro, Nuno Ramos Júnior, Eduardo Chesine, a historiadora Andréa Márcia Toledo Penacchi Marcondes, a jornalista Sonia Bongiovani, a fonoaudióloga Vânia Abduche Correia, o arquiteto Tiago Ferreira da Cunha Marcondes, o empresário e desportista Pérsio Isaac, e tantas outras pessoas de proa na cidade de Presidente Prudente, foram dos primeiros a vestir a camiseta do Esquema.
No início de 1972, o Esquema Vestibulares resolveu revolucionar o ensino médio em Presidente Prudente e, por conta disso, sua equipe de professores viajou para Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro.

Nova Friburgo é uma cidade serrana, distante 136 quilômetros do Rio de Janeiro. Uma cidade lindíssima, em meio a uma paisagem encantadora e um clima frio.


Esse é o cartão postal do Colégio Nova Friburgo (hoje unidade da UERJ), onde ficamos durante uma semana conhecendo a pedagogia revolucionária dessa escola.

O Colégio Nova Friburgo da Fundação Getúlio Vargas foi inaugurado em 1950 por Luiz Simões Lopes que após uma viagem pela Europa resolve criar um colégio aproveitando a metodologia aplicada em colégios europeus.


O espaço escolhido foi um prédio construído para o funcionamento de um cassino nas montanhas do Parque da Cascata .

Depois de reformas e adaptações o prédio estava pronto para abrigar seus primeiros alunos, vindo de todos os cantos do país.
O Colégio Nova Friburgo encerrou suas atividades em 1977. Hoje, no prédio do colégio funciona um campus da Uerj . A Associação dos antigos alunos, professores e funcionários mantém um Museu e o Centro de Memória .

O método de ensino do Colégio Nova Friburgo. O Ginásio, depois Colégio Nova Friburgo, visava formar uma elite intelectual no Brasil e se constituiu num centro de experimentação pedagógica voltado para atender qualquer entidade educacional que quisesse capacitar os seus membros.

O método de ensino dessa escola era baseado no princípio da instrução formal de Herbart, atualizados por Henri C. Morrison e adaptados à realidade brasileira.
As fases do Plano Morrison correspondem às seguintes atividades didáticas:
a) Exploração: etapa em que o professor deve reunir os elementos relativos ao tema que irá tratar, com vistas à elaboração das atividades de ensino;
b) Apresentação: exposição sucinta do conteúdo pelo professor;
c) Assimilação: proposição de exercícios de fixação, com vistas a fazer com que o aluno assimile os pontos fundamentais de cada unidade didática;
d) Organização: nesta etapa, o aluno deve realizar atividades alusivas ao tema sem o auxílio do professor;
e) Recitação: na etapa final o aluno deve realizar uma exposição oral a respeito do assunto trabalhado, cabendo então a avaliação final da aprendizagem através da avaliação do desempenho do aluno nesta atividade.


Quando estivemos no Colégio Nova Friburgo soubemos que os alunos já haviam atingido o estágio de efetuar a auto-avaliação.

Tentamos essa experiência no Esquema e não deu certo. De certa forma valeu a viajem por termos conhecido o método das unidades que está em vigor até hoje, em muitas escolas brasileiras.


A maioria dos alunos do Colégio Nova Friburgo era muito rica e passava por um criterioso processo de seleção, visando garantir os melhores mesmo. Havia alunos bolsistas e os critérios de seleção eram mais rigorosos ainda.

O famoso cantor Ronnie Von (“Meu bem”) e o ator Carlos Eduardo Dolabella( “Irmãos Coragem”) passaram por esta escola. Ronnie Von era “podre de rico”.

O Colégio Nova Friburgo nasceu em 1950 e desapareceu em 1977.

O Esquema Vestibulares nasceu em 1968 e também “desapareceu” em 1977 quando se integrou numa parceria pragmática e programática com o Curso Objetivo de São Paulo, fundado por João Carlos Di Gênio e o Dr. Dráusio Varella.

Foi o período em que o ensino no Brasil passou a segundo plano obedecendo os consenso de Washigton sendo privatizado com direito a freqüentar as melhores escolas sómente os filhos da elite pertencente as classe dominante sionista, a mesma elite oligarca que participou da expropriação do Patrimônio Brasileiro.

  • José Caetano Silva é sociólogo. Formou-seem Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Presidente (antiga Fafi), instituto isolado da USP, em 1973. Começou a carreira como professor primário em 1969, em Itapecerica da Serra. Lecionou no Esquema Vestibulares, depois Objetivo, de Presidente Prudente, de 1972 a 1989. Lecionou na FCT-Unesp - entre 1976 e 1978. Lecionou na Instituição Toledo de Ensino - 1976 - 1985-1988 - 1995-1999. Lecionou no IMESPP - 1985-1988 e voltou para Unesp em 1985, onde lecionou até a aposentadoria em junho de 2008. Deu aulas ainda no Esquema Objetivo de Adamantina - 1974-1988. Trabalhou como professor do Objetivo de Araçatuba - 1977-1985. Foi vereador do Partido dos Trablhadores na Câmara Municipal de Presidente Prudente durante três legislaturas (1989-1992 - 1997-2000 - 2005-2008). Atualmente é o Diretor Presidente da Fundação Educacional Vicente Furlaneto, responsável pela manutenção do Centro de Educação Profissional "Antonio Zacharias" - em Presidente Prudente.

Exibições: 469

Tags: Brasil, Cultura, Educação., Eleições2010

Comentar

Você precisa ser um membro de Observatório Político Brasileiro para adicionar comentários!

Entrar em Observatório Político Brasileiro

Noticiário Recente

*** Em atualização ***

Links Indicados:



Visitantes, a partir de 06/05/2009:

Efeitos Especiais


Assinar o feed


diHITT - Notícias


© 2017   Criado por Ivo S. G. Reis.   Ativado por

Relatar um incidente  |  Termos de serviço